Mais duas entrevistas de emprego | Parte 1

19:04


Há uns meses atrás escrevi um post-crítica sobre a minha primeira entrevista de emprego e aquilo que eu procurava no mercado de trabalho. A entrevista foi um caos, detestei e fiquei com uma má imagem da empresa, resumindo foi um mega flop.

Ainda antes do meu meltdown e ainda no espírito do dar uma oportunidade às ofertas que me iam aparecendo mesmo ainda não tendo terminado o meu mestrado marquei outras duas entrevistas. Lo and behold, foram um flop. Para que fique aqui claro eu até nem sou uma pessoa extremamente exigente mas honestamente fiquei para lá de desiludida. Agora, outras tantas entrevistas depois já sei que é possivel ficar com uma boa primeira impressão duma empresa. Confirma-se o problema não sou eu, são eles!

A minha segunda entrevista correu bem, fiz tudo que era suposto mas fiquei com uma má impressão da empresa. Era muito difícil conseguir uma resposta clara do que eram as responsabilidades do trabalho que eles estavam a oferecer. Era muito complicado perceber em que empresa ia trabalhar, uma vez que assinaria contrato com a dita empresa mas iria trabalhar para outra, ou melhor, para o cliente do cliente da empresa do homem que me estava a entrevistar, super confuso! 

Tentando resumidamente explicar as empresas de consultaria tem muitos funcionários mas grande parte dos consultores está destacado a fazer projectos nos clientes. Durante o contrato o consultor saltita de projecto em projecto e de cliente em cliente mas sempre afiliado à casa mãe (consultora que te contrata). Nesta proposta a empresa que me queria contratar cedia-me por um contrato de um ano a um cliente deles e iria trabalhar para os clientes e projectos da empresa cliente da empresa com quem faria projecto. Ao final do ano de contrato tinha a opção de ficar na empresa que me contratou ou transferir contrato para o cliente da empresa que me contratou. 

Eram umas trocas e baldrocas do pior. Em que eu não tinha garantias nenhumas do tipo de projecto para o qual me estava a meter. Depois era para a empresa cliente que iria ser cedida mas era na casa mãe que teria formações. Formações essas que eu tinha zero poder de escolha e que estaria à mercê de um manager que nunca me iria acompanhar, porque estaria no cliente do cliente. As formações disponíveis eram  muito poucas, todas técnicas e só podia fazer uma por ano. Obrigadinha!

Não havia seguros de saúde. Embora o aliciamento financeiro fosse bastante bom e bem acima da média nacional, o ordenado base (o tributável) era pouco mais que o ordenado mínimo. Tudo o resto eram em subsídios de deslocação, complementos disto e daquilo. Resultado fico com quase metade do ordenado que o estado não sonha. Logo não entra para subsídios, reforma e para os bancos. Um dia caso uma pessoa queira pedir empréstimo o banco acha que se ganha que se ganha consideravelmente menos e dificulta empréstimos à habitação.

Esta modalidade de pagamento parece-me que é standard, as empresas fazem tudo para nos dar o máximo possível livre de impostos. Mas nunca vi uma proposta com valores tributados tão ridiculamente baixos. 

E a cereja no topo do bolo foi não acertarem no meu nome! Em cada documento que me davam enganavam-se no meu nome próprio, apelido ou ambos. Cada documento, seu nome diferente. Frustrante!  

You Might Also Like

8 comentários

  1. Há com cada empresa por aí, que muitas delas parecem que saíram de um filme de comédia.
    Boa sorte para o futuro.

    ResponderEliminar
  2. Realmente não tiveste muita sorte, mas pode ser que as próximas corram bem melhor e vão ao encontro do que queres :)

    ResponderEliminar
  3. Bem, que confusão! Eu trabalho numa empresa e recebo ordenado de outra, mas não é metade esse complicado. Até porque pertence tudo ao mesmo patrão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo! No teu caso é embora não convencional faz sentido ^^

      Eliminar
  4. Wow até fiquei baralhada xD
    Já fui a uma entrevista que demorou 15 minutos, não me foi dito nada sobre a empresa, apenas sobre a função de forma geral. Saí de lá a achar tudo estranho :p

    ResponderEliminar
  5. Li agora isto... Ah, o belo mundo do "outsourcing". Também fico baralhada por vezes xP E li o comentário da Emma, tive uma entrevista desse género uma vez ahah

    ResponderEliminar