Um dia na vida de quem sofre de ansiedade

19:37




Um video que acho que merece a pena ser partilhado. Um video genérico mas com algo que toca a todos os sofrem de ansiedade. 

Para mim são as horas e horas perdidas a pensar obsessivamente nas coisas que fiz, nas coisas que não fiz, nas coisas que quero fazer e nos erros que cometi. Ai os erros... são dias e dias presa nisso até à exaustão! Sou a minha pior inimiga e estou sempre a pensar o pior de mim e a sabotar-me. O estar sempre a pensar no pior cenário e recear tudo o que foge à minha rotina normal e à minha zona de conforto. No conduzir nota-se imenso. Não levo o carro para o centro de Lisboa, não levo o carro para zonas que não conheço. Estrago planos com amigos porque não quero ir sozinha de carro. É o medo constante de falhar, de as coisas correrem mal e para não correrem mal eu evito faze-las. 

No entanto a aprovação dos outros é-me indiferente, a minha aprovação é que é o meu problema. Nunca estou satisfeita com o que conquisto acho sempre que podia ser muito melhor. Não sei celebrar as minhas vitórias. 

Dormir, ai o que é isso? Não sei descansar... o meu cérebro está sempre a mil e não consegue desligar e são horas e horas de insónias a pensar no que não devo. As vezes durmo, mas estou num sono tão leve que qualquer barulhinho me acorda. As vezes "durmo" 10h mas sei que nem 5h estive a descansar a cabeça. 
Quando a minha ansiedade está descontrolada é sufocante para mim viver comigo. Sinto-me exausta, claustrofóbica, de rastos e incapaz de viver normalmente. É algo tão silencioso que ninguém do lado de fora nota. Foi um mundo terrível que criei na minha própria cabeça! 
Uma luta constante e depois de tantos meses de vitórias basta qualquer coisinha e volto novamente a este ciclo vicioso. 

Estes últimos meses tem sido tão duros com a pressão da tese e do orientador tem sido novamente muito maus. Acho que estou a levar isto mais a peito porque estou em casa, já não tenho aulas e as minhas pessoas estão nas suas teses, nas suas demonstrações e não tenho outra coisa para pensar que não nisto. Vou lentamente afastando-me das pessoas porque preciso de espaço para descansar a cabeça e conseguir parar o meu cérebro até ficar completamente dormente por dentro. 
O grande problema para mim é o afectar-me o sono e se não descansar afecta a minha sanidade mental!

E como é que eu saio deste ciclo vicioso? Meditação... muitos dias de meditação, muitos meses a ensinar o meu cérebro a ligar e a desligar a mente para, por fim, conseguir adormecer.

Finalmente estou a conseguir sair novamente de um momento menos bom! Estou a aprender a dizer que sim mesmo o meu cérebro gritando que não! Estou a aprender a controlar a minha respiração e a saber voltar a mim!

O quando me custou carregar ali no botãozinho publicar... acho que estive meia hora a olhar para este texto a pensar se o devia ou não publicar. Enfim... já foi!

You Might Also Like

6 comentários

  1. "Vou lentamente afastando-me das pessoas porque preciso de espaço para descansar a cabeça e conseguir parar o meu cérebro até ficar completamente dormente por dentro."
    Ella, acho que nunca antes me tinha identificado tanto com algo que escreveste por aqui.
    Pensar de mais, passar o tempo todo a dizer que não fiz o suficiente (mesmo quando recebo prémios de mérito, recebo elogios a torto e a direito), não conseguir dormir, ter tics nervosos que já ninguém suporta, etc.
    Às vezes, sinto-me presa na minha ansiedade. Isolo-me, como dizes, e depois, por muito que tente, nem sempre consigo sair desse buraco negro. A verdade é que a minha forma de lidar melhor com isto é manter-se extremamente ocupada e sair de casa. Quanto mais ocupada estou, menos tempo tenho para pensar e estar a tremer por tudo quanto é lado.
    Ansiedade é uma característica psicológica danada e devia mesmo conformar-me com esta e consultar alguém... É uma treta ser-se ansiosa.

    ResponderEliminar
  2. Sofro de ansiedade desde que me lembro e há momentos que se torna horrível conviver com ela. Acho que só quem convive com a ansiedade sabe a real angustia.
    A meditação também me ajuda, assim como a terapia e a leitura. Nos piores dias tento mesmo desligar dentro de um livro ou uma série para não pensar mais. Ou pelo menos tentar.

    ResponderEliminar
  3. Realmente é um problema que afeta muita gente em silêncio, e maior parte não tem noção. Ainda bem que estás a conseguir controlar, nem que seja aos poucos. Força :)

    ResponderEliminar
  4. O vídeo está excelente!
    http://sunflowers-in-the-wind.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Eu já fui muito assim... sou muito perfecionista e exijo sempre o máximo dos máximos de mim mesma. Mas, com o passar dos anos tenho aprendido a controlar mais esse meu lado e a viver um momento de cada vez (;

    ResponderEliminar
  6. Sinto que sofro disso mesmo, o querer fazer coisas e não o fazer por medo. Medo de sair de casa, de andar sozinha, de conduzir, de arranjar trabalho e fahar. E horrível viver assim e o pior e que ninguém compreende .

    ResponderEliminar