Mulher que é mulher sabe cozinhar!

16:50



Parece-me que com esta nova descoberta do homem e mulher serem iguais é preciso ressalvar a essa igualdade em toda a conversa. Na minha modesta opinião, a discriminação começa quando é preciso explicitar essa igualdade em vez de ser algo que devia estar previamente implícito! Agora há cotas para tudo, uma pessoa já não sabe se está a escolhida porque é boa naquilo que faz ou só porque precisavam de preencher cotas. Porque raio precisamos de cotas para mostrar não fazemos discriminação? É tão triste ter de ser preciso cotas!

A igualdade vem do berço, da educação que nos dão, que aos poucos se vai reflectindo na sociedade. No aprender a ver a relação do pai e da mãe e as suas ambições pessoais e profissionais. No ser educado com os mesmos valores e competências independentemente do sexo com que se nasce e no ensinar que cada um pode ser tudo aquilo que ele ambicionar desde que trabalhe e se empenhe. Tem de ser educados para serem seres humanos incríveis e não mulheres ou homens incríveis.  

Agora diz-se Portugueses e Portuguesas. Mas afinal isto não é uma questão semântica de caca quando há assuntos realmente importantes para se resolver?

Eu não me importo de estar na espécie Homem e de estar entre os Portugueses. Importo-me sim de duvidarem das minhas competências em determinada área pelo facto de não ter um pénis. Importo-me sim que assumam que tenho de ser eu a sacrificar-me pela pessoa com quem estou. Importo-me sim que achem que eu tenho de ser a fada do lar e esperam que tenham sorte por achar um marido que me ajude. [então mas o gajo não vive lá também? A casa é só da mulher? Mãezinha ele só tem uma e não sou eu!]

E parece-me que andamos a lutar pelas coisas erradas. Agora não se quer cavalheirismo porque isso é sinal de machismo. Eu cá gosto de um homem cavalheiro, é sinal que me respeita! Principalmente, há que ter gestos de apreciação por toda a gente independentemente de homem ou mulher. A igualdade deve estar nas oportunidades e no valor da opinião porque no resto somos diferentes e essas diferenças devem ser apreciadas. Não faz sentido dos Jogos Olímpicos homens e mulheres estarem misturados em certas categorias quando tem capacidades diferentes e corpos com configurações diferentes. 

Nenhum sexo devia dominar o outro ou considerar-se superior. Nenhum sexo devia ser as suas opções, gostos e escolhas limitadas por causa do sexo com que nasceu! Eu sou uma lady e gosto de ser tratada com tal. Gosto que me segurem na porta. Gosto de gritar quando vejo um bicho e que seja o meu namorado a mata-lo. Gosto de me sentir protegida. Gosto que me dêem um casaco quando tenho frio. No entanto não confundam gostar de ser mimada com o ser frágil e fraca. Gostos não são necessidades. Porque de outras maneiras os homens também gostam de ser mimados e não é por isso que os consideramos frágeis e fracos. Não tolero no entanto que quando em casal as decisões não seja tomadas a dois. Não tolero que seja só uma a tomar conta das contas. Não tolero pedidos de autorização entre casais. Não tolero um ter medo do outro. 

Agora faz-se gala de uma mulher não saber cozinhar e tratar das coisas da casa, que façam eles! Ora que merda! Então um ser humano adulto não se sabe alimentar sozinho? É quase tão cómico como serem adultos e ainda precisarem que lhes limpem o rabinho quando vão à casa de banho! Vão me dizer que fizeram o 12º ano com derivadas, limites e merdas matemáticas complicadas mas não são inteligentes o suficiente para saber ligar um lume, botar uma panela e cozer um ovo sem o queimar? Não brinquem comigo! 
Mulher que é mulher sabe cozinhar, caso contrário é uma criança! Adulto que é adulto sabe cozinhar, independente do seu sexo!  Ninguém devia dependente de outro seja para o que for!

Estou tão cansada de ver coisas vendidas como feminismo que não passam de estupidez, ignorância e vontade de criar guerras aonde elas não existem e deixar os verdadeiros problemas passarem em branco!

You Might Also Like

6 comentários

  1. R: Obrigada por aquele comentário tão querido.

    Eu não poderia estar mais de acordo contigo. É muito isto que escreveste aqui.
    "Eu não me importo de estar na espécie Homem e de estar entre os Portugueses. Importo-me sim de duvidarem das minhas competências em determinada área pelo facto de não ter um pénis."

    Também me cansam um bocado estas propagandas disfarçadas de feminismo.

    ResponderEliminar
  2. Muito sinceramente, uma grande salva de palmas para ti e para o teu texto. Disseste tudo o que penso sobre o assunto!

    ResponderEliminar
  3. Ella, Ella, Ella, é a minha ovação para ti! Sempre que começo a defender as coisas que devem ser defendidas numa conversa amigável, como o cozinhar dever ser algo de senso comum e não ser correcto fazerem distinções tão evidentes a nível profissional, tentam calar-me com o argumento «isso quer dizer que não vale a pena ser cavalheiro», até fico com os cabelos em pé. Assim como é mais do que normal gostarmos desses pequenos gestos, também é normal fazermos pequenos gestos aos homens, mas isso já é normal e nem precisa de discussão... entristece-me que se ponham este tipo de coisas incomparáveis em cima da mesma mesa.
    Só gostava que toda a gente lesse isto.
    Um beijo gigante,
    Joaninha.

    ResponderEliminar
  4. "Estou tão cansada de ver coisas vendidas como feminismo que não passam de estupidez, ignorância e vontade de criar guerras aonde elas não existem e deixar os verdadeiros problemas passarem em branco!"

    Concordo com tudo o que disseste mas não posso deixar de destacar o último parágrafo. Foi uma excelente conclusão para este tema.
    Na maioria dos casos desperdiçamos energias em assuntos inúteis e sem nexo e evitamos o verdadeiro problema.

    ResponderEliminar