Os ultimos dias - Incêndios

22.6.17

NASA Earth Observatory (a 19 de Junho)
Andei uns diazinhos longe da blogosfera por motivos profissionais e académicos (por acaso, só coisas boas!) e só quis escrever sobre este tema com o seu merecido tempo!

É inacreditável a dimensão desta tragédia! Cá em casa foi vivida de forma particularmente intensa porque foi algo que a minha mãe já viveu. Há uns bons anos a minha mãe teve de lutar pela própria vida contra um fogo florestal que os cercou é algo que a marcou profundamente.
O resto de nós nunca estivemos nessa situação mas já vimos o fogo bem perto de casa da minha avó paterna (num minúsculo vilarejo no centro do pais). Vimos o dia tornar-se noite, o céu vermelho, fagulhas em chamas por todo o lado, ficamos sem telefone e electricidade. Felizmente não nos bateu directamente à porta de casa e mal pudemos zarpamos para Lisboa! Por estradas completamente esturricadas, ainda se via o fumo a sair do chão e algumas zonas ao lado da  auto estrada ainda com pequenos focos de fogo... Foi a viagem mais calada e dolorosa que alguma fez fizemos. 

É com imenso respeito e admiração que vejo o trabalho dos bombeiros e de todas as outras entidades que se precipitam para a frente do perigo prontos para dar a vida para salvar as dos outros! 

Este ano está a ser particularmente trágico e há 64 vitimas mortais e centenas de feridos. Está na altura de mudar-mos o panorama florestal português. Algo correu mal! Algo correu inevitavelmente muito mal e é preciso ajudar-mos aqueles que sofrem na pele esta calamidade mas também é importante questionarmos as entidades competentes.  Sabermos o que realmente falhou e muda-lo! Se realmente fizemos tudo o que pudemos e correu desta maneira é porque os meios que temos ao nosso dispor  e os nossos métodos não estão a ser suficientes!

Planos obsoletos, meios pouco equipados, falta de ordenamento de território, falta de organização nos comandos das operações. É preciso rever tudo e chegar a acções claras e eficazes! Os incêndios são uma inevitabilidade é certo, mas minimizar o seu impacto e, principalmente, evitar perdas de vida humana é uma obrigação! 

Mas não é aprovar qualquer coisa para calar o povo, é aprovar algo com pés e cabeça. Independentemente de o custo inicial ser elevado, no final acabará por compensar! O governo português (seja qual a cor no governo) adora poupar na manutenção e depois é o que se vê... O estado em que estamos não é culpa só do PS ou só do PSD é culpa de todos os partidos da assembleia que são incapazes de se unir pelo bem comum dos portugueses. 

Espero, sinceramente, que em anos futuros os nossos bombeiros não sejam esquecidos (que ainda por cima são maioritariamente voluntários - na minha opinião deviam ser pagos e bem pagos!) e tenham melhores meios e formação para enfrentar o inferno dos fogos florestais.

Outra questão que pessoalmente me incomoda muito é que cada vez mais os canais de televisão não saibam destingir o que é notícia do que é exploração da tragédia alheia. A competição pela qual a reportagem mais chocante e mais invasiva é deplorável! Bate-se mesmo no fundo quando se faz reportagens como a da Judite de Sousa. 
E isto é transversal ao tema da reportagem, mas é especialmente evidente quando são temas como incêndios e terrorismo.

Agora, é ajudar quem mais sofreu com esta calamidade! Nisso o povo português é extraordinário e é algo que me enche a alma de orgulho! 

You Might Also Like

1 comentários

  1. Eu nunca vivi uma situação semelhante às que descreveste, mas também segui as notícias com atenção e, sobretudo, tristeza. E concordo plenamente com o que dizes, é preciso mudar porque é óbvio que algo está muito mal no nosso país! Todos os anos são incêndios atrás de incêndios, estava bom de ver que um dia as coisas se iam descontrolar... e pronto, chegou o dia. Espero que agora abram os olhos e façam algo para evitar tragédias destas no futuro. Só é pena que tenha de ter havido uma tragédia para que se faça alguma coisa

    ResponderEliminar