SIRESP


A partir do minuto 27 vale a pena ver! E é nestas parcerias público-privadas que os governos estoiram o dinheiro publico!

Os ultimos dias - Incêndios


NASA Earth Observatory (a 19 de Junho)
Andei uns diazinhos longe da blogosfera por motivos profissionais e académicos (por acaso, só coisas boas!) e só quis escrever sobre este tema com o seu merecido tempo!

É inacreditável a dimensão desta tragédia! Cá em casa foi vivida de forma particularmente intensa porque foi algo que a minha mãe já viveu. Há uns bons anos a minha mãe teve de lutar pela própria vida contra um fogo florestal que os cercou é algo que a marcou profundamente.
O resto de nós nunca estivemos nessa situação mas já vimos o fogo bem perto de casa da minha avó paterna (num minúsculo vilarejo no centro do pais). Vimos o dia tornar-se noite, o céu vermelho, fagulhas em chamas por todo o lado, ficamos sem telefone e electricidade. Felizmente não nos bateu directamente à porta de casa e mal pudemos zarpamos para Lisboa! Por estradas completamente esturricadas, ainda se via o fumo a sair do chão e algumas zonas ao lado da  auto estrada ainda com pequenos focos de fogo... Foi a viagem mais calada e dolorosa que alguma fez fizemos. 

É com imenso respeito e admiração que vejo o trabalho dos bombeiros e de todas as outras entidades que se precipitam para a frente do perigo prontos para dar a vida para salvar as dos outros! 

Este ano está a ser particularmente trágico e há 64 vitimas mortais e centenas de feridos. Está na altura de mudar-mos o panorama florestal português. Algo correu mal! Algo correu inevitavelmente muito mal e é preciso ajudar-mos aqueles que sofrem na pele esta calamidade mas também é importante questionarmos as entidades competentes.  Sabermos o que realmente falhou e muda-lo! Se realmente fizemos tudo o que pudemos e correu desta maneira é porque os meios que temos ao nosso dispor  e os nossos métodos não estão a ser suficientes!

Planos obsoletos, meios pouco equipados, falta de ordenamento de território, falta de organização nos comandos das operações. É preciso rever tudo e chegar a acções claras e eficazes! Os incêndios são uma inevitabilidade é certo, mas minimizar o seu impacto e, principalmente, evitar perdas de vida humana é uma obrigação! 

Mas não é aprovar qualquer coisa para calar o povo, é aprovar algo com pés e cabeça. Independentemente de o custo inicial ser elevado, no final acabará por compensar! O governo português (seja qual a cor no governo) adora poupar na manutenção e depois é o que se vê... O estado em que estamos não é culpa só do PS ou só do PSD é culpa de todos os partidos da assembleia que são incapazes de se unir pelo bem comum dos portugueses. 

Espero, sinceramente, que em anos futuros os nossos bombeiros não sejam esquecidos (que ainda por cima são maioritariamente voluntários - na minha opinião deviam ser pagos e bem pagos!) e tenham melhores meios e formação para enfrentar o inferno dos fogos florestais.

Outra questão que pessoalmente me incomoda muito é que cada vez mais os canais de televisão não saibam destingir o que é notícia do que é exploração da tragédia alheia. A competição pela qual a reportagem mais chocante e mais invasiva é deplorável! Bate-se mesmo no fundo quando se faz reportagens como a da Judite de Sousa. 
E isto é transversal ao tema da reportagem, mas é especialmente evidente quando são temas como incêndios e terrorismo.

Agora, é ajudar quem mais sofreu com esta calamidade! Nisso o povo português é extraordinário e é algo que me enche a alma de orgulho! 

Tosta em part-time



Hoje ousei por a "patita" fora do conforto da minha casa! [pois vocês não sabem mas desde que comecei a tese que isto é a pasmaceira. Trabalho a partir de casa e pareço uma ermita ou um monge em clausura. Pessoas é quase um mundo novo para mim!] Vá, tive exame  às 8h [valente m*rda! Doeu tanto, mas tanto, mas tanto!] e fui obrigada a sair da minha grutinha aka quarto. 

Enquanto andei a dizer "olá mundo" experienciei tal qual o que uma fatia de pão deve experienciei aquando o contacto com uma torradeira ligada! Não foi entusiasmante ver o mundo foi só, terrivelmente quente! Eram 8h da manhã e já andava de manga curta (coisa inédita para mim que sou um frigorífico nas horas vagas. Fui fazer o exame, fazer os meus recados e pegar em mim e sair o mais rapidamente do centro de Lisboa e vir para o ar condicionado da  minha santa casinha. Um luxo! 

Ontem andava a dizer raios e coriscos de nunca sair de casa porque estou cheia de trabalho com a tese e hoje já repensei a minha visão da coisa! Logo esta semana que vou andar em reuniões no centro de Lisboa quase todos os dias. 

Claro que tenho andado desaparecida daqui a minha vida tem sido o tédio dos tédios trabalhar, trabalhar e trabalhar. Só penso: que chegue Outubro! que chegue Outubro e termine esta tese de vez! 

Date night = Telemóvel na mala.


Date night = Telemóvel na mala

Por mais caótica que a nossa semana esteja há sempre uma noite que tiramos para nós. E este último ano tem sido um conjunto de semanas caóticas. Mas não importa quão má esteja a nossa agenda, há sempre uma noite que guardamos para ir jantar fora, namorar, passear e contar todas as coisas que nos aconteceram. É o nosso, e só nosso, momento sem distracções, mensagens, telefonemas e "emergências".  Faz-me confusão estar a passar um bom momento com uma pessoa que gosto e estar agarrada ao telemóvel a fazer outras coisas. No geral, refeições com amigos, família e namorado é tempo sagrado do qual o meu telefone não faz parte. Nem selfies, nem fotos de grupo, nem fotos à mesa ou à refeição são tudo coisas que evito fazer. A maior parte das vezes porque se estou a aproveitar nem me lembro de pegar no telefone e registar alguma coisa. Ficam as boas memórias!

Acho, inclusive,  que as fotos quebram um bocado o momento. Tenho uma amiga (ela é mais uma conhecida que me dou bem) que em todas as santas refeições tira fotos. Até fotografa os pratos de toda a gente e honestamente é frustrante que doí. 

É preciso querer fazer um esforço


Sinto que desde que comecei a faculdade me tenho afastado lentamente de algumas pessoas eram importantes para mim. Não sou a amiga de levar todas as noites ao café, não tenho tempo mas estou sempre lá quando é preciso. Ás vezes é preciso ter o trabalho de pegar no telefone e saber dos outros e nem todos estão disponíveis para isso. Aos poucos também eu vou perdendo a vontade de fazer o esforço de pegar no telefone. 

Está na altura de a faculdade começar a devolver todos os anos que eu lhe ofereci e tudo aquilo que perdi. Outubro termina mais uma etapa. O entusiasmo, a aventura e o medo incerteza já moram aqui! 

Isto de ser adulto



Diz-se que para a semana vou ter a minha primeira entrevista com  um possível empregador 

Ligaram-me por contacto com a minha universidade e vou lá passar e ver o que é isso de ter uma possível entrevista de emprego. Provavelmente vou lá para me dizerem que precisam de mim para programadora, o que não é nada o que quero fazer! Portanto o mais provável é não estar interessada mas vou de mente aberta e quem sabe se a minha área lhes interessa. De qualquer das maneiras o plano A (até achar algo que me cative) é ficar 2 meses de férias e aproveitar para purgar os 5 anos de tortura, talvez tirar um daqueles diplomas catitas de inglês e investir num certificado da minha area. Só depois lançar-me fresca e fofa ao mercado de trabalho. 

P.S. E vou comprar uma roupita mais formal. Isso sim está-me a deixar entusiasmada!!

Diana, Wonder Woman


Depois de umas merecidas férias do blog, espero estar de volta!

Terça foi dia de Wonder Woman com o namorado e uns amigos e posso dizer que surpreendeu as minhas expectativas. Para mim, a DC acertou completamente no filme e no cast! Depois de ter ficado "meh" com o Suicide Squad acho que este filme redimiu um bocadinho tantos maus "casts" e maus filmes. 

O filme é super badass, na minha opinião muito mais que o man of steal! As "stunts" estão top top top top top. E principalmente, não se sente que é um filme a  promover gritantemente o "girl power". Mostra a história dum super herói que por acaso é uma mulher. Isso para mim não tem preço porque acho que não há nada mais errado do que provar que somos melhor que os homens ou que temos de provar o girl power. Se temos de evidenciar que somos mulheres e que isso é um fator a ter em conta então já estamos a destruir a premissa da igualdade de género! 

O enredo filme em si é simples estão ali a mostrar a história dela e só a história dela. Há um beijito ou outro, ela arranja uns amigos e tal mas o foco é ela perceber a humanidade, descobrir que é uma deusa filha de Zeus, matar o mau e ser "badass as fuck" durante algo que parece ser a primeira guerra mundial. 

Ainda me ri bastantes vezes porque o filme foi feito com algum humor sem ser feito para ter piada. Acima de tudo,  fiquei com  um quanto ou tanto de inveja do quão "badass" ela é! 

Agora é cruzar os dedos e esperar pelo melhor no próximo filme, o Justice League.