Vacinação obrigatória: Sim ou não?

19.4.17

Sempre ouvi dizer que a liberdade de uns termina quando afecta a liberdade dos outros.
A vacinação em massa permite que como pais estejamos mais protegidos e evita surtos. 
Até que ponto se pode tomar a decisão de não vacinar os nossos filhos, manda-los para o mundo e não afectar o resto da comunidade?

No meu tempo de escolaridade obrigatória a não vacinação era quase obrigatória porque era pedido o boletim de vacinas e se algo não estivesse em dia éramos notificados que tínhamos de ir resolver a situação o mais rápido possível . E a conversa andava ali sempre a ser lembrada em frente a toda a gente. Ainda no meu 11º ano (2010/2011) fui amplamente lembrada que estava na altura de receber a do HPV. Estava ligeiramente atrasada mas como era hábito receber carta e ser chamada e tal ainda não tinha acontecido estava tranquila. Tive inclusive de ir ao centro de saúde perguntar pela dita carta e mostrar que estava viva. Recebida a carta e feita a primeira dose a minha directora de turma foi informada e o assunto resolvido. 

Pessoalmente sou pró-vacinação. Porque acho que havendo vacinação é uma parvoíce estar à mercê dos elementos. Quem me dera que houvesse vacinas para todos os tipos de cancro e ia lá todos os meses se fosse preciso.
Sou a favor da liberdade de cada um em escolhas que só nos afectem a nós, mas não em algo que pode gerar contágio ao resto da população.

Levanta-se a questão vacinação obrigatória sim ou não?

You Might Also Like

2 comentários

  1. Eu não percebo que razão existe para não vacinarem as crianças. A saúde é uma coisa que não se devia brincar.

    ResponderEliminar
  2. Eu sou igualmente a favor. Tanta luta na descoberta de avanços na medicina, porque não aproveitar o que de bom nos dão? Eu concordo que cada um deve criar os filhos consoante os seus ideias mas... q.b.

    ResponderEliminar