The Crown | A Opinião

5.2.17

The Crown é uma história bibliográfica da Rainha Elizabeth II de Inglaterra. A série passa-se ao longo de um período de 10 anos (1946-1956) que acompanha o inicio do reinado mas acompanhado de bastantes flashbacks que permitem ter uma visão dos eventos anteriores. 

A série inicia-se com o final do reinado do rei George V (pai da actual rainha), que não estava destinado a ser rei, que morreu devido a sérios problemas de saúde ligados ao tabagismo. O que levou a que Isabel II fosse soberana demasiado cedo e tivesse de lidar com um Churchill idoso e ainda preso às politicas da segunda guerra mundial.

A serie retrata as dificuldades que teve em mostrar-se como soberana e sendo tão nova e mulher. E os sacrifícios e compromissos que teve de fazer enquanto mulher, mãe, filha, esposa e rainha. 


Momentos como o casamento com Phillip, a coroação e as sumptuosas viagens pela commonwealth, são abordados. Embora, não esquecendo os problemas conjugais, o problemático comportamento da eterna rebelde princesa Margaret  (Irmã) e as situações politicas delicadas que teve de enfrentar.

Toda uma história bem fundamentada e detalhada acompanhada de uma guarda roupa extraordinário, cenários de tirar a respiração, 
Quem, como eu, conhece relativamente a história da família real inglesa e a história de Inglaterra reconhece imensos factos verdadeiros e caracterizações fieis das personagens, dos momentos e das joiais (aiii, as joiais senhores!! que réplicas!) mas também há bastantes factos inventados, obviamente de historicamente nada importantes, para dar um ar mais dramático à coisa. 
A relação entre a rainha e o marido com os filhos é também algo bastante romanceado.


Quanto aos actores, Claire Foy (Elizabeth) é maravilhosa! Consegue captar perfeitamente a inocência de uma soberana inexperiente mas ao mesmo tempo ser uma mulher extremamente feroz e convicta. Matt Smith (Phillip) também é bastante convincente como marido que se sente na sombra da mulher e que sente a sua liberdade condicionada. Phillip não pode dar o nome aos filhos, não pode exercer a sua profissão e é apenas um consorte. O Churchill e a Margaret estão igualmente muito bem representados. E a essência rebelde, que facilmente se deslumbra, de Margaret está na super bem caracterizada pela Vanessa Kirby. 

Da esquerda para a direita: Rainha Mãe, Queen Mary (Avó Paterna da Rainha),  (ex)  Rei Edward  VIII (Tio da Rainha),  Príncipe Phillip Mountbatten,  Rainha Elizabeth II, Princesa Margaret, Peter Townsend (namorado da princessa Margaret), Churchill, Anthony Eden (ministro dos negócios estrangeiros/futuro primeiro ministro)

Eu adorei a serie e mal posso esperar que venha a segunda temporada! Acho que a série não é nada maçadora, está super bem feita e cheia de glamour. Dê uma oportunidade porque tenho a certeza que vos vai surpreender. 
E conhecendo a próxima década!! A próxima temporada só vai melhorar... principalmente para a princesa Margaret e a golden age de Hollywood!! 

*Fotos são todas da Netflix.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Vou ver esta semana. Ando a adiar devido a outras séries mas acho que estou a fazer mal. Desta semana não passa.

    ResponderEliminar
  2. Já tinha uma grande curiosidade em ver esta série, mas depois da tua opinião ela aumentou exponencialmente! (:
    Beijinho*

    ResponderEliminar