Do desfazer da casa:

11.6.16



Sábado sim, sábado sim tem sido uma correria para cada da minha madrinha. Desde que ela faleceu, há o prazo para devolver a casa ao senhorio e a tarefa tem sido uma verdadeira tortura. 
Primeiro porque o apartamento ainda é grandinho e desfazer 80 anos de vida é imensa coisa (imensa mesmo... todos aos longo da vida vamos coleccionando tralha)! 
Segundo porque estamos a desfazer uma casa onde crescemos, fomos imensamente felizes e onde sempre houve amor para nos dar. 

Uma pessoa só consegue porque mete na cabeça o que lá vai fazer e entra e sai um bocadinho de si, siga com o que temos planeado para o dia... E, assim, aos poucos e poucos a casa vai perdendo a forma. Só depois quando chego a casa é que consigo processar o dia e finalmente avançar, sabendo que estamos a cumprir religiosamente o que nos foi pedido. Independentemente de não conseguirmos absorver uma casa, estamos a fazer o melhor que podemos.

P.S. A minha madrinha guardou TODAS as prendas que lhe oferecemos, desde as conchinhas da praia, às fotos, aos desenhos, às pedras da calçada. Incrivelmente delicioso descobrir essas pequenas memórias! 

You Might Also Like

3 comentários

  1. Foi muito amoroso da parte dela guardar essas recordações todas.
    Só te posso desejar força para o que falta.
    kiss na cheek

    ResponderEliminar
  2. Oh. Uma bela forma de honrar a memória da tua madrinha :)

    ResponderEliminar
  3. Imagino que seja difícil, por várias razões, mas o importante é estarem a fazer tudo o melhor que conseguem (=

    ResponderEliminar