Na faculdade mais que o curso é um nome!

5.12.15

Apesar de não ser uma visão que aprecie, infelizmente, é verdade. A faculdade defini-te muito mais do que teres x ou y curso. É toda uma filosofia, um método, um rigor... porque há um nome a defender, porque há um historial. Ignoro a luta privada vs publica porque cada caso é um caso. Em informática não acho que haja nenhuma privada melhor que as publicas mas noutras áreas até é o oposto. Acho que é porque ao contrários das medicinas, dos direitos e outros tantos ser um curso recente e ainda não haver corpo de docentes bem formados, currículos aprimorados... o que não quer dizer que não se inverta devido ao investimento que as privadas podem ter e as publicas não. 

Se antes achava que se fosses bom, independentemente de teres o curso seja de onde for, seria fácil. Hoje já não acho isso.  O trabalho que eu tenho, os desafios que me propõem, o currículo que damos... é algo nosso. Que não vais encontrar em mais lado nenhum e sabes que é ali que queres ir buscar empregados. Não vamos falar da minha área porque até pessoal de química vão buscar logo há empregos ai aos trambolhões mas noutras áreas já não é assim, infelizmente. 

É algo que tenho ouvido das empresas, é algo que vejo pelos meus colegas de cursos semelhantes. Há uma diferença gigante. Mas eu penso. Eu estou a trabalhar 10x mais, a ter muito menos vida mas há algo a compensar-lo. Foi uma escolha minha não ter escolhido o caminho mais fácil. Quando vejo no primeiro ano tanta gente a desistir porque a faculdade w é mais fácil e dá para gerir melhor as coisas. Fica-me aquela ideia de que escolher uma faculdade mais facil é deitar oportunidades fora, algumas que tanta gente lutou por elas e que não as conseguiram para dar lugar a quem agora as vai deitar no lixo. 



You Might Also Like

3 comentários

  1. Percebo bem o que dizes. Mas eu acho que sendo cursos iguais, os alunos deviam ter o mesmo trabalho. E não devia ser preciso trabalhar mias na faculdade x do que na faculdade y para obter o mesmo grau, ao fim de 3 anos, por exemplo. Há muitas pessoas que optam pela universidade mais próxima porque, realmente, não têm outra opção visto não terem possibilidades para se deslocarem. Fica realmente muito mais caro ser aluno deslocado...
    Acho que se calhar era algo que devia mudar um bocadinho no ensino superior, porque acho que tens toda a razão. As empresas têm preferências para certos cursos em determinada universidade, e outros curso numa outra... exatamente por causa da diferença de trabalho que há para se obter a licenciatura ou mestrado. Mas temos de ver que passa a ser um pouco injusto para quem realmente não pode mudar de cidade :)

    ResponderEliminar
  2. A minha irmã mais velha tirou o curso numa pública, eu numa privada e nenhuma das duas está na área. Sinceramente... já nem tento perceber!

    ResponderEliminar
  3. Eu acho que quando somos bons devíamos ter sempre oportunidades, independentemente do nome da faculdade que está no nosso CV. Mas a verdade é que o nome conta muito e abre muitas portas. Por um lado, faz todo o sentido que assim seja, há que privilegiar quem teve uma média boa no secundário e pôde escolher, há que privilegiar quem aguentou passar 3 ou 5 anos numa faculdade exigente. Mas por outro acho que também devia haver alguma margem de manobra, porque uma pessoa que não estudou numa faculdade muito conceituada e que teve média de 15, por exemplo com certeza também tem o seu mérito e provavelmente também será bom profissional. Felizmente sempre tive a questão no prestígio da instituição em conta e a minha média permitiu-me escolher bem, mas tenho amigos em politécnicos e em privadas pouco conceituadas que até são excelentes naquilo que fazem, têm imenso conhecimento e lidam com professores super exigentes e nem sempre isso é reconhecido.

    ResponderEliminar