Existe o a mim e existe o às pessoas que gosto


Não digo que podem fazer o que quiserem comigo porque é mentira mas, desiludir-me ou fazerem-me mal é uma coisa outra é fazerem-no com quem é importante para mim. Comigo eu consigo lidar com o assunto e quem se mete comigo não sai sem resposta nem me "destrói" (porque eu não deixo!)  mas com o outros... Isso sim deixa-me fora de mim. Alguém que eu tenho na minha vida resolver tentar dar cabo de mim e levar por tabela quem é especial para mim? Ai sim eu passo-me, ai sim vão ver o pior de mim e é morte certa para a pessoa que ousou fazer mal aos meus!!

Recentemente, ousaram-no fazer. Essas pessoas morreram para mim... e apesar do esforço não fui eu que acabei mal, muito pelo contrário! 



Sinto-me tão bem!


Estes últimos tempos tem sido tão bons! Temos estado juntos quase todos os dias, há sempre coisas novas para fazer e sítios novos para ir. Sinto-me tão bem. Para alem da química inegável que temos há muito tempo que não me sentia tão bem com alguém... tanta facilidade em manter horas e horas de conversa sem pensar nas horas, tão especial, tanta vontade em fazer coisas comigo e apreciar a minha companhia. O estar na mesma pagina que alguém, os mesmos objectivos e aquela vontade louca de não nos largarmos não tem preço e é vital. 

Por isso é que tenho posto tão poucos os pés no blog, mas sinceramente tem sido por excelentes motivos. Estou a aproveitar, merecemos! 




Compatibilidade ou fruto da circunstância?




Numa amizade a sério não importa o tempo nem o espaço. Não importa quanto tempo estejamos sem nos vermos. Mesmo que só estejamos juntos quando os planetas se alinham, quando acontece parece que nada mudou desde a ultima vez. E é isso que importa! Não quero saber se só vejo essa pessoa de 6 em 6 meses, como é o caso da minha melhor amiga e eu (mesmo morando a 15 km de distância, estudados longe uma da outra e horários compatíveis... nem vê-los) importa é os momentos em que estamos juntas. Não quero saber se nunca há tempo para um café, uma saída, uma ida às compras... quero saber é que se tiver um problema ou for ela a te-lo nós vamos fazer nascer tempo. Porque há que saber priorizar e saber que não é por não ter ali a presença física todos os dias que algo vai mudar porque adaptamos a nossa amizade conforme as nossas vidas se vão mudando.

No outro dia a falar com um amigo percebi que infelizmente nem toda a gente tem a sorte de isto acontecer naturalmente, como com as minhas pessoas essenciais e talvez seja por isso que as guarde à mais de 15 anos. Muitos tem amigos que cobram por não haver disponibilidade total, que não entendem a necessidade do estudar para aquele exame e assim... as amizades morrem... Questiono-me se terão efectivamente existido. Quantas amizades temos nós em que não existe aquele compatibilidade mas apenas são fruto das circunstancias. Quando estas mudam, as amizades mudam com elas. 

Tenho imensos "amigos" mas Amigos? Contam-se pelos dedos de uma mão (e ainda sobram) mas tenho a certeza que vão durar uma vida inteira. 

Enche-me de orgulho...


... Saber que ele atingiu mais um objectivo e está a um passinho de realizar um dos sonho dele: tirar a carta mas desta vez, de mota.

Ontem foi dia de: ANT-MAN


Combinei com o namorado e alguns amigos meus, que por coincidência ele já conhecia, e lá fomos nós - estes Marvel/DC viciados - ver o novíssimo filme da Marvel. Só posso dizer que adorei!! Não ia com nenhuma expectativa. Este foi o nosso primeiro filme e tinha logo de ser o que nos move: Marvel, o ultimo e único que fomos foi na fase no estamos estranhos, portanto desta vez foi bem aproveitado. Quanto ao filme em si: 
  • Eu passo metade dos filmes da marvel às gargalhadas mas neste esmeraram-se. Foi excelente!
  • Houve casalinho mas não foi um tema explorado e ainda bem... tudo se soube mas nada foi explicitamente dito. just the way i love it.
  • Houve momentos de cliché se bem que poucos, mas foram super bem apagados por momentos inesperados que me desmancharam toda.
  • Achei que estava super original o filme, diferente da Marvel mas super Marvel. Dos paradoxos mais bem feitos que vi.
  • O filme em si tava super bem feito com as referencias certas, há uma timeline coesa, há participações especiais, há consistência com todo o universo Marvel e ainda foram adicionados mais informação. DC APRENDEEEEEE que a marvel não dura para sempre!!!
Às criaturas que costumam sair do filme mal o primeiro crédito cai: AMIGOS ISTO É MARVEL!!! HÁ SEMPRE UMA CENA EXTRA NO FINAL. Cena essa que foi um bocado meh... mas já vi piores. Ao contrario dos avengers que fazia referencia aos guardiões da galáxia e que a cena foi tipo a união dos filmes. Desta vez foi sobre o filme em causa. 

Espero não estar a fazer demasiados spoilers. Eu sugeria este filme à minha mãe e ela não é nada de Super Heróis e essas coisas, portanto acho que está bom para famílias completas o irem ver.

Leak do site Ashley Madison




Não sei se já tinham ouvido falar mas um grupo de hackers chamado Impact Team recentemente hackeou a Avid Life Media que é a dona do maior site de infidelidade e sexo casual do mundo, o Ashley Madison. Basicamente fizeram um ultimato que os obrigada a retirar o site do ar (e seus similares) para não haver a libertação dos dados (fantasias sexuais secretas, suas transacções de cartões de crédito, nomes e endereços reais, e documentos e e-mails) dos seus utilizadores e funcionários. 

Confesso que quando li esta noticia no público me fez um bocadinho de confusão, afinal até onde a Internet que foi desenvolvida para nos facilitar o dia à dia não se está a tornar no nosso maior pesadelo? Dito isto, devo frisar que sou o mais contra possível à traição e que acho que estes sites são deploráveis para os meus valores. Sou daquelas pessoas que acredita na confiança e que se estamos com alguem é porque se gosta, se deixar de ser então acaba-se e pronto. Por mais duro que isso seja enganar alguém nunca é solução. Nunca posso dizer nunca porque ninguém está livre de bater com a cabeça no chão e mudar radicalmente nunca ninguém está livre. Mas será está a medida correcta para combater este tipo de sites? Quão mais correcto é cometer um crime para limitar algo moralmente errado? Especialmente estando eu na área da informática ainda mais me custa.

Dizer adeus aos caracois




Hoje foi o dia do suplicio!! 5 (cinco) horas fechada num cabeleiro a domar os meus caracóis. Foi dia de desfrizagem coisa que só faço quase de dois em dois anos. Tive-o durante muitos anos natural mas acho que assim torna-se muito mais facil todas as manhãs e fica mais saudável e mais bonito. Com o desfrizamento foi também bastantes centímetros. Estou de coração partido a ver que os meus longos cabelos já estão menos "longos" mas isto com o tempo vai lá e volto a ter a cabeleira do costume. 

O drama na hora de fazer as malas de viagem.



Eu sou daquelas pessoas que ir viajar durante um fim de semana ou uma semana é basicamente a mesma coisa e resulta sempre comigo a empacotar metade do meu armário . Confesso que não sei viajar light e admiro quem consegue ir semanas com uma mochilinha. Não que tenha demasiada roupa ou goste de vestir coisas elaboradas apenas não sou capaz de escolher não sei quantos outfits e cingir-me a eles. Geralmente troco tudo no destino. Já para não falar no tempo! Levo roupa para verão, inverno e primavera. E vivo mesmo segundo a máxima do "mulher prevenida vale por duas"

Mas por outro lado, também não sou daquelas que faz grandes planos nem que anda semanas antes a pensar em tudo para fazer uma listinha de tudo o que vai precisar. O mais em cima da hora possível e tenho tudo em cima da cama pronto a ser encafuado na mala. Algo que já sou uma mestra é em aproveitar todo o espaço possível e impossível qual bolsinha do Doraemon!

Inspecção.


O meu adorado pequeno veiculo foi pela primeira vez, na minha mão, à inspecção. Aprovadissimo, é certo mas não deixou de lá ficar uma notinha preta. Eu adoro o meu mecânico! Era o "aluno" do meu avô e logo se tornou o nosso mecânico quando ele se reformou e posteriormente faleceu. Uma pessoa nem te de fazer nada, ele vem cá a casa buscar o carro, alterar o que é preciso com bastantes descontos (o que é sempre agradável) se for preciso leva à inspecção e traz-lo só quando já está devidamente pronto para ser conduzido. Mesmo como uma menina precisa. Excluindo que ficaram lá 200 euros (em bateria e outras alterações) assim é que se quer!


Dicas para faculdade | escolher curso | explicação dos créditos | estatísticas do vários cursos





Eu sei que muitos já sabem qual o meu curso, a universidade onde estudo e até são meus colegas. Mas sempre mantive mais ou menos em segredo do publico em geral qual a minha engenharia e cheguei à conclusão que não vale a pena portanto... *tambores* a menina deste blog está mesmo quase a terminar o curso de Engenharia Informática numa das faculdades da Universidade de Lisboa (vá... não queiramos tudo!!).  Posto isto:

Porque as candidaturas ao ensino superior estão já ai e já é meu típico mostrar-vos alguns dos meus textos sobre a minha vida académica e a minha experiência. Aqui na lateral tem a label Faculdade, portanto aventurem-se mas deixem-me que vos seleccione os mais importantes, a meu ver.

Espero ter vos ajudado nesta vossa nova fase, sei que a maioria de quem me segue já passou essa fase mas há sempre sangue fresco por esta blogo fora que está à nora e lhes dá jeito uma mãozinha de quem já passou por isso. 

Aproveito também para vos dizer que não estou ligada à praxe nem nada assim, o meu voluntariado académico passa por outras áreas/entidades entre as quais as inscrições dos caloiros, o acompanhar o seu primeiro ano e lidar com essa burocracia portanto se tiverem duvidas, perguntem que na medida do que souber ajudo! 

A primeira casa...


Já não é a primeira vez que falamos os dois sobre o assunto e já o falávamos bem antes de estarmos juntos: as nossas pessoas estão a começar a vida a dois. Actualmente o casamento já não é uma preocupação e todos nós temos amigos que acabaram por decidir não ir para a faculdade e começar a trabalhar. É engraçado ver como as relações de sempre se estão a tornar cada vez mais sérias e as festas de inauguração da primeira casa de muitos nesses nossos amigos estão-se a tornar cada vez algo menos raro. Agora é a ver de um dos melhores amigos dele. Tão estranho mas de certa forma bom porque estamos a tornar-nos adultos. E as vezes penso... tenho 21 anos, a minha madrinha com a minha idade já estava casada e a minha avó já estava grávida mas eu ainda vivo em casa dos meus pais e dependo deles. Não que eu tenha já vontade de sair de casa ou casar ou construir família... longe disso, especialmente agora que estou com alguém e calma é a palavra de ordem mas a minha independência financeira? Isso já me começa a fazer falta!

Novo Header


E agora que é verão resolvi dar um ar mais clean ao blog portanto novo header no estaminé. Menos cheio, mais branco mas as mesmas cores de sempre e exactamente as mesmas referencias às coisas que fazem parte de mim e que gosto de partilhar com vocês: o meu lado mais feminino, o meu lado mais ligado à culinária, o meu novo estado civil (comprometida, pois é parece que efectivamente já namoramos), o meu curso de engenharia e o meu veiculo (coisa mais boa da dona!!). Espero que gostem da mudança. 

Mercado de Algés | Louca para experimentar!




Tem sido uma loucura com as renovações aos velhinhos mercados numa tentativa de lhes restaurar a vida de outros tempos. Começou na Ribeira e Campo de Ourique, que  ainda não conheço e tal foi o tamanho do buzz, que até Cascais e Algés já se renderam às modas. Recentemente fui ao de Cascais (onde é a pizzaria Gully) e sai de lá completamente apaixonada. De barriguinha cheia e feliz... é assim que se quer. 

O cancro da mulher do Primeiro Ministro.



Acho lamentável o que ando a ler por estes 4 cantos do mundo sobre a mulher do nosso primeiro ministro. Não sou social democrata, e na verdade acho que a minha cor politica nada tem a ver com a minha sensibilidade humana. Não estou, de todo de acordo, com aquele que acham que isto (aparecer de cabeça rapada ao lado do marido) seja uma propaganda politica ou uma jogada estratégica muito menos que é algo que deva ser escondido ou visto como algo repugnante . Louvo todos os dias quem teve de passar por este tormento, tenha sobrevivido e admiro particularmente que não tem medo de mostra-lo ao mundo.

Não que aprecie particularmente o nosso primeiro ministro e tenho opinião zero sobre a a sua mulher mas pelo que dão a conhecer parece que a falta de jeito para governar um povo não se estende ao seu casamento. 

Ultima semana



Apesar de estar de férias tudo tem sido demasiado agitado. É o conhecer outra pessoa, é o as notas saírem e andar a ir a revisões de provas e passar por uma camada de nervos. E como se isso não baste o gatinho dele teve de ser abatido, completamente de surpresa, esta semana. Ele até que está bem mas o resto das pessoas dele nem por isso. E custa imenso vê-lo preocupado por causa deles. 

Desencaminhar a minha mãe e a avó.


Agora que finalmente chegaram as férias estou louca para desencaminhar a minha mãe e a minha avó e fazermos um girls day out pelos novos museus de Lisboa. O novo museu dos coches e os arranjos no largo do Carmo estão no topo das prioridades. Para alem das novidades quero rever o Aqueduto das Aguas Livres, Castelo de São Jorge, Panteão (de preferência quando acabar este buzz todo do Eusébio), Palácio da Pena, Palácio da Ajuda... entre tantos outros que fazem parte da nossa vastíssima oferta cultural.

A história é algo que mexe definitivamente comigo e acho que é uma pena o povo português não conhecer o seu património melhor. Se tiverem sugestões por favor deixem nos comentários. De algo relativamente perto de Lisboa. 

Andava a fazer campanha!




Eu já tinha ido a casa do rapaz do date com colegas meus estudar e consequentemente conhecido a irmã dele que é ligeiramente mais nova que eu. Isto aconteceu à quase dois meses e nessa altura este rapaz era-me totalmente indiferente, era só um amigo que me dava bem e nunca tinha pensado mais no assunto até ontem. Vim eu a descobrir que causei mesmo impacto à moça. Para alem de ter passado a tarde toda a dizer que uma criatura com 1.85m é que era ideal para mim (nada descarado visto que é a medida exacta do irmão) frisou que ele é "um excelente namorado". Achava eu, na minha ingenuidade, que as "indirectas" tinham sido só para mim. Assim que me fui embora, vim eu agora a descobrir, que ele foi bombardeado com "Então e que tal a Ella?", "Eu gostei dela" e "Tu gostas dela?" E ao qual ele respondeu " A Ella?! É só uma amiga e para mais não há química".

O que me ri quando ele me contou isto! Porque não foi o primeiro caso do "assim que vos vi juntos pensei logo que isto mais cedo ou mais tarde ia dar coisa". Não sei o que as pessoas viam mas claramente nós temos andado cegos até à coisa de duas semanas. As coisas entre nós ainda não estão propriamente definidas, ele não é meu namorado. Ou é? Não sei!! Ele não pediu propriamente e eu não aceitei propriamente... Mas eu gosto de estar com ele e ele comigo. A duvida parte sempre do: será que estou preparada para novamente entrar numa relação séria e passar por tudo outra vez quando saia extremamente amachucada como pessoa da minha ultima relação? Por mais que aquilo já tivesse morto à muito mais tempo do que eu queria admitir?

Problemas de ansiedade são de facto uma doença

Este post vem no contexto da publicação da Carolina.



Antes de mais quero agradecer à Carolina o excelente post que fez. Porque há doenças silenciosas que ninguém fala e prefere ignorar, infelizmente a ansiedade é uma dessas doenças altamente banalizadas. Digo infelizmente porque acho que nenhuma doença, fobia, mau estar deve ser banalizado ou menosprezado por mais "estranho" que pareça aos nossos olhos.

Quem já me acompanha ao longo deste e do meu antigo blog já deve ter-se apercebido (ou não, visto que não ando de bandeira hasteada a dizer "olhem para mim que sofro disto") e ainda não foi à assim tanto tempo que fiz um post sobre o meu diagnostico médico

Desde pequenina que sempre fui mais "nervosa do que o normal" mas nunca senti que fosse algo condicionador. Apenas sofria mais nos momentos de maior aperto. Comecei ao longo dos anos a reparar que as oscilações abruptas do meu peso, que nunca foi muito, sempre coincidiam com essas mesmas alturas de "stress". 

Nessas mesmas alturas tudo em mim se alterava, eu não conseguia dormir, andava completamente estoirada, sentia-me a mil como se dentro de mim algo fosse explodir, sentia um nó na garganta e um enorme peso no peito. Mal conseguia comer, estava maldisposta e tinha variações de humor. Sentia-me paralisada, demasiado pessimista e insanamente medrosa. Cheguei mesmo a desmaiar de tantos nervos e a uns níveis de cansaço completamente anormais. Tornou-se uma bola de neve.

Bati no fundo, acho que, no ano passado durante o qual tirei a carta, fiz a mudança de curso e que coincidiu com os grandes cadeirões do curso e o que me levou seriamente a repensar as minhas escolhas. Ainda estava "fragil" do processo que foi entrar na faculdade e todas as dificuldades que fui encontrando: o não ter certezas, o não conseguir logo o 10.0 a matemática para me inscrever no meu curso mesmo tendo média, o ter de ir a segunda fase tirar aquele 14 que custou tanto, o não ter entrado logo onde queria, o ter tido problemas na faculdade por copia de colegas meus (atenção foram eles que me copiaram um projecto e não vice versa. Tenho sempre medo de aqui ser mal interpretada) e eu sem saber de nada... um infindável rol de situações temporalmente demasiado próximas.  

Desse bater no fundo resultou o meu peso mais baixo de sempre 39 quilos para 1,56m e semanas sem dormir. Já me doía o coração de tão acelerado que estava e até "pontadas" sentia. Ai senti que me estava a perder psicologicamente e desde ai tem sido uma luta para tentar estar o mais estável possível. Agora já estou nos 42 quilos de novo. Devia ser 45 mas ainda não cheguei a esse nível. É uma luta diária para que a minha vida académica não me coma. Tenho feito, sozinha, progressos e estou extremamente feliz comigo própria. 

Iniciei-me este ano no yoga e estou a adorar. Sinto que faz maravilhas por mim. Sinto-me outra quando lá ponho os pés e é algo que quero continuar a desenvolver. 

Eu não falo assim tanto de mim quanto tudo isso mas acho que há coisas que merecem ser partilhadas. Porque eu aprendi a conhecer-me à bruta "batendo no fundo" e acho que não tem de ser assim a toa a gente.  E apesar de ter escrito imenso no post da carolina e ter contanto isto de forma mais resumida achei que este post poderia, de facto, ajudar alguém. Porque a maioria de nós não partilha o que cá vai dentro e é culpa disso que nascem outras doenças psicológicas mais graves que podiam facilmente ser evitadas. 


Date




Quão assustador é encontrar quando menos esperamos alguem que tem tanto a ver connosco. A química que isso gera e sermos capazes de com a nossa conversa dominar a sala? A sinceridade da gargalhadas. Alguém que gosta efectivamente da nossa companhia e nos faz sentir desejadas. Hoje foi o dia do nosso encontro e correu maravilhosamente bem. Ele faz-me sentir a pessoa mais especial do mundo e eu, embora cheia de medo, adoro imensamente a companhia dele, as nossas conversas, os nossos abraços, o casaco dele quando estou com frio...
Ele diz que me quer por inteira... os meus medos, as minhas alegrias, os meus dramas, as minhas gargalhadas, as minhas ideias parvas, os nossos momentos e que está disposto a ter toda a paciência do mundo. E eu estou super ansiosa para o que vamos ser capazes de criar a partir daqui. Acho que já toda a gente sabia que isto era inevitável, só nós que é continuávamos a acumular desculpas esfarrapadas.

P.S. Peço desculpa por não ter respondido aos vossos comentários assim que possivel, e agora que estou de férias, vou tratar deles!

E eu decidi deixar de ter medo


E no meio desta confusão toda de testes e exames, decidi deixar de ter medo e parece-me que vamos finalmente ter um date! à semanas que está um clima/tensão estranha na sala cada vez que nos encontramos. A forma como esta amizade escalou em apenas poucos meses é assustadora. Sem nunca nos termos cruzado antes e logo agora em que está tudo uma confusão.