Cai em mim!


Ontem foi o ultimo dia em que tivemos aulas todos juntos. Começa agora o resto das nossas vidas. Estamos a lutar para tentar passar ao máximo possível para em Setembro poder estar cada um em seu mestrado. Eu e tantos outros, para alem do mestrado temos cadeiras penduradas que ainda precisam de ser feitas. Os últimos meses tem sido demasiado intensos e já não sei o que é acalmar e não ter nada que fazer. Ontem à tarde foi aproveitar para estar com os meus colegas mas hoje quando acordei cai em mim. Agora só daqui a uma semana e meia e logo um exame. O que vou fazer? Parte de mim só quer sair e ignorar o mundo e a outra parte precisa mesmo de passar a isto e ficar enfornada em casa a decorar tudo. Há todo um equilibrio para tentar alcançar, pessoas com quem quero estar, tempo e vontades que tenho de gerir.

Pedestal


Nunca gostei de por ninguém no pedestal, nesse local intocável onde tudo aquilo que dizem é lei. Para mim nada te deve limitar e todos temos uma voz. O que fazemos com ela é que marca a diferença e nunca te deves fiar no lugar onde estás porque quanto mais depressa se sobe maior é a queda. O sucesso não é um posto. É algo que precisa de manutenção e empenho. Se calhar é por isso que ou me adoram ou me odeia. Não sou de dar graxa ás pessoas. Não sobrevalorizo a opinião das pessoas dessa forma. Somos pessoas ponto final paragrafo!

Tão mais facil



É fascinante a forma como nos enganamos a nós próprios quando dizemos que partilhamos com os outros o que cá vai dentro. Tão mais facil contar factos do que propriamente dizer "eu perante isso sinto isto". O sentir é algo tão nosso, tão dificil de partilhar mas tão essencial para os outros que nos rodeiam. É essa vulnerabilidade que temos medo de entregar. E por isso que as relações sejam elas de que tipo foram não resulta. Porque não há entrega total dos dois lados mas também é por ai nós no magoam no nosso mais intimo.

De pernas para o ar



E quando penso que a minha vida ia estabilizar e que já sabia com o que contar... Independentemente se isso ser algo bom ou mau, tudo dá uma volta descomunal. 
Como se tirassem o tapete do chão para sair da minha zona de conforto. Acho que esse foi o impacto de ter trazido novas pessoas à minha vida. Entraram por aqui a dentro e rasgaram toda a visão que tinha da vida e das pessoas à minha volta. Afinal estava mais morta do dentro do que sabia e obrigada por me terem ensinado a viver um pouco mais. Obrigada, especialmente, a ti que me aturas sempre.

Agora que se fala tanto em Bullying




Andei durante dias no falo não falo... mas olhem que se dane, vou falar:

Nestas histórias todas há sempre algo que me tira do sério: os comentários para com o agressor. Coisas como "Devias era morrer", "Se te apanhasse na rua não eras viva para contar a história", "És um cancro na sociedade" entre outros tantos insultos que me incomodam. Não, não estou a defende-la e sei demasiado bem o que é bullying mas meus amigos se criticamos alguém temos de ser melhores que a pessoa em causa e estes comentários só revelam que não somos. Que somos pobres de espírito e cobardes. Portanto cresçam um bocadinho e acalmem a pipoca. Porque as palavras atrás dum teclado parece algo inócuo mas não é. E nenhuma vida é menos preciosa que outra. 

Condeno drasticamente o que a rapariga fez e acho que deve ser punida judicialmente por aquilo que fez e pagar à sociedade mas não nos compete a nós fazer uma sentença de morte em praça publica.
Queremos é erradicar isto não é propaga-lo ainda mais!

A Lula!


Cá para mim o mes de maio deve ser declarado como o mês internacional da lula!!
Um calor do pior em que já apatece por a pernoca ao leu mas ainda estamos com este branco lula tão tipico do inverno.
E quando até está um dia jeitoso que mereça ser passado na praia a desenlular os prazos de entregas de trabalhos e testes não dão tréguas. As vezes uma pessoa só pensam em declarar guerra a todos aqueles que seja verão seja inverno estão ali com um bronze dourado de fazer inveja a qualquer branquelas como eu! Triste vida!

Respirar!


Olá mundo! Eu andei uma semana completamente enterrada em trabalho. Parece que mais uma etapa acabou portanto hoje fui almoçar fora com amigos, vi as minhas séries, fui passear... enfim, voltei a ter vida!! Novos deadlines aproximam-se e não estou nada entusiasmada!! 

Mãezinha...


Mãezinha, chegar aos 21 e descobrir que me tens ando a mentir este tempo todo é inaceitavel.
Como raio depois de me teres feito continuas a dizer que não tens jeito para as artes, hum?!

Só porque hoje o dia foi uma miséria... ofereço-me um elogio só naquela a ver se a moral sobre e ver se me engano!! Tentar não custa, não é verdade?!

Filhos dos outros!


Já dizia a celebre frase:

Se não tenho filhos não é para aturar os filhos dos outros.

Não a posso adoptar no seu sentido literal porque ainda estou longe de ser mãe e até gostava muito de o ser mas há com cada criatura. Ando eu a aprender a domesticar os meus problemas e a lidar com eles e resolvem vir depositar os seus em mim e levam a peito se não os tornar prioridade numero um da minha existencia? Mas onde raio está a normalidade disso?! Cruzes credo senhores... Eu tenho vida, tenho os meus problemas e ajudar-vos com os vossos é uma coisa agora depositarem em mim para os resolver é outro assunto completamente diferente. 


Antes sozinha que mal acompanhada.


Acho que o fim da minha relação só me fez bem. Não vamos entrar pelo lado do gostar ou não gostar e do acabar uma relação. Nunca é fácil, nunca é simples nem linear e sofre-se sempre. O que importa é a forma como reagimos perante isso. O estar sozinha só me tem estado a fazer bem... reorganizar prioridades, estar com quem gosto mas não tinha tempo e conhecer novas pessoas. Estava muito centrada nos objectivos e amizades dele. E o ter o meu tempo tem-me feito maravilhas. Claro que estar sozinha e só depender de nós naqueles momentos em que sabia bem ter alguém ao nosso lado nunca é a melhor coisa do mundo mas no geral estava a precisar disto.

Tenho-me cruzado com pessoas que nem sei como só conheci agora. Pessoas que tem tanto a ver comigo e que me tem sabido super bem conviver.

Não, não é mania.



- Isso não é mania?
- Não, é não ter falsa modéstia. Se sei que sou boa em algo vou mentir para que? Aceitares que és bom e algo não te torna mais ou menos perfeito. Apenas te ensina a conheceres os teus limites e quereres puxar por eles.

Faz-me confusão quando as pessoas confundem saberes em que és boa e o que consegues com mania. Tolos são aqueles que gostam de dizer e redizer que são normais e não fazem mais do que os outros quando são realmente bons e dado assunto. Enerva-me. Enerva-me tanto a falsa modéstia o gosto de ouvir os outros elogiarem e nós a desdizer só porque massaja o ego.

Ser bom em algo não nos torna perfeitos porque todos temos algo em que somos muito bons e algo em que somos terriveis!! Faz parte!!

Acho que não era suposto.


No outro dia foi a uma consulta de avaliação com uma psicóloga a pedido da minha nutricionista porque acha que o meu peso não se resolve com planos alimentares mas sim resolvendo os meus problemas de ansiedade. Eu só queria ganhar uns 5 quilinhos, coisa fácil para alguns mas mega difícil para mim. 
Consulta marcada, consulta feita! O que posso dizer? DETESTEI! Senti-me julgada do principio ao fim. Olhava para mim com aquela cara do "tens de ser internada no Júlio de Matos, já!". Não disse nada que já não soubesse. Olha que bom tenho problemas de ansiedades que precisam de ser resolvidos? WOW eu nem desconfiava nem nada! Perguntou-me coisas ridículas, fez comentários simplesmente desnecessários. Quis saber detalhes da minha vida sexual de forma tão fria e tão... tão... estúpida, epah foi tão mau! E depois espantou-se de obter respostas frias. Olha "quésta "perguntas estúpidas, respostas estúpidas. 

Amiga, eu não estou em negação de nada. Aliás, ninguém tem tanta consistência do que se passa comigo do que eu, na verdade eu só não o consigo resolver sozinha. E não é a julgar-me e a dizer que tenho de mudar repetidamente que vai resolver alguma coisa. Porque se eu conseguisse só porque achava que precisava de mudar, nem tinha posto os pés nesse consultório.

Eu sabia que me ia fazer perguntas difíceis, despistar a anorexia e todo o tipo de doenças do tipo, querer saber a relação que tenho com o meu corpo e com espelho. Sabia isso tudo. E claro, comprovou-se que não é nada disso. É apenas ansiedade que me acelera o metabolismo e bora lá fazer mais umas caras e julgar mais um pouco. Por ter uma relação próxima com os meus pais e não pensar em sair de casa nem gostar de ir de carro para o centro de Lisboa.

Resultado, não volto à mulher. Acho que para ser julgada consigo fazer eu um melhor trabalho sozinha. Vou tentar noutra... ver se alguém me consegue ajudar sem me mandar abaixo. Preciso que me mostrem outra forma de encarar a vida, aperceber-me de que não posso ser tão exigente e perfeccionismo comigo própria e aprender a relaxar com os stresses da vida. Apenas e só isso. O resto é consequência disso e não a causa. -.-' 

Sai de lá tão cansada, tão cheia de raiva, tão ansiosa, tão "omg a sério que esta gente tem uma licenciatura? Até eu sou mais compreensiva!". 

Feliz Dia Da Mãe


Eu sei que sabes o quão importante és para mim, mas só para o caso de um dia te esqueceres: És a melhor mãe do mundo...
... vá e a mais chatinha!!

Mas não importa porque és a minha chatinha!

Gosto imensamente de ti!