The Voice - Portugal | Tira-teimas


Eu adoro este tipo de voz, arrepia-me toda! Tive imensa pena que a Inês não tivesse passado. Não entendo o "encanto" do Tiago Nacarato. 

E lembra-me imenso a Patrícia Teixeira da equipa da Aurea! 


Outros que também adorei e achei memoráveis: 






Eu acho o tipo do Tomás super parecido com o do Murta. 






Reflexão




Confesso que estes últimos meses me tem dado para a reflexão. Analisar quem sou, de aonde vim e para aonde vou. Talvez seja o fim de uma era (universitária), talvez seja o fim de uma relação, talvez seja eu a amadurecer. Tenho olhado bastante para trás, não só com um olhar saudosista mas maioritariamente crítico. Aprender com os meus erros, perceber o que fiz de errado e analisar más e boas escolhas. 

Tudo me moldou no que sou hoje e honestamente nem conto com os dedos de uma mão coisas que me tenha arrependido. Eu sei que sou uma pessoa complicada (oh porra, sou mulher e isso basta!), que tenho bastante "bagagem" e medos coleccionados ao longo dos anos... mas tenho uma força do tamanho do mundo, resiliente a tudo. Vergo mas não quebro. 

Até recentemente uma pessoa fez-me achar que podia ser "emocionalmente frágil". Que a minha ansiedade podia ser sinal de fraqueza. Mas hoje sei que é muito pelo contrário. Só alguém "emocionalmente forte" é que sabe que é importante a partilha dos medos, ansiedades e bagagem. Que partilhando o peso das coisas, este é divido e deixa de ser o meu problema e passa a ser o nosso problema. E só assim podemos lidar com o que a vida nos deita para cima. No ultimo ano e meio lidei de perto com a morte, o cancro, outros problema familiares e ansiedade completamente descontrolada ... nunca me deixei ir abaixo, segui sempre em frente. Verguei mas nunca quebrei. Lidei com tudo o que a vida me atirou e fui o suporte dos outros mesmo quando eu estava perdida. Se isso não é ser "forte" então não sei o que isso é!

Ser forte não é anestesiar os sentimentos até não poder fugir mais, depois levar com tudo de rajada em cima e colapsar. Ser forte é ter a coragem de admitirmos (pelo menos, a nós próprios) as nossas fraquezas.Ser forte não é achar que podemos levar ao mundo às costas sozinhos porque assim estamos destinados a fracassar. Ser forte é ter a dignidade de reconhecer quando não nos bastamos e precisamos de ajuda de fora. Ser forte é... tudo aquilo que não foste. 

Fica escrito para o ar ou então para a quem esta mensagem servir, porque infelizmente os reais destinatários desta mensagem nunca a vão chegar a ler. 

Ainda na sequência do post das compras




Mesmo um exemplar feminina não tem de papar tudo o que é lojas só pelo simples facto de ser loja, especialmente numa ida ao shopping com a mãe! Há lojitas que mãe tem um prazer especial em admirar que a nós, filhas, nem nos interessa. Fiquei portanto a ocupar os alegres banquitos, geralmente usados pelos pobres dos homens que aguardam as suas senhoras, enquanto me dedicava à arte do cuscanço da vida alheia. Também não há muito mais para fazer depois de se fazer scroll ao face e ao insta e nem um sinal de mãe. 

Dedicada à bela arte do cuscanço, deparo-me com bando de adolescentes (aii tanta hormona per capita!). Ainda eram uns quantos e obviamente fazendo porcaria.. Qual velha, pensei logo que quando tinha aquela idade os rapazes eram claramente mais arranjadinhos e que se aquilo que eu vi é o que elas tem para admirar acho que mais valia ficarem a pão e água! Rapidamente lembrei-me que sou do tempo da grande moda das calças quase nos joelhos e o traseiro e os boxers todos de fora. E de os rapazes puxar em as calças uns dos outros, ficando só de boxers ou nem isso. E estranhamente deu-me uma certa saudade do secundário, do tempo que qualquer caramelo ranhoso era o gajo mais giro da escola e de mandar pelo menos 500 sms por dia com o meu Yorn!

E pronto, entretanto chegou a mãezinha e fomos todas contentes para o Gato Preto porque eu tinha visto umas "coisas mesmo giras" para decorar a nossa mesa de dia de natal e andava-lhe a chagar a paciência para ela ir comigo escolher decorações. E lá voltei para o mundo dos adultos!

Vim de termostato avariado




Ainda só estão 17 graus cá em casa e eu já ando com robe e um poncho. Já durmo de cobertor e ederdon e cada vez que mudo de divisão grunho para os presentes "tá frio! tá tanto frio!" E ainda só estamos a meio de Novembro. Janeiro monto tendinha ao lado da lareira.

As vezes penso que fui trocada na maternidade. Eu meto mais 10 quilos em mim só em robes, mantas e mantinhas e o meu pai anda o inverno todo em mangas de camisa. Depois olho-me ao espelho e vejo-o em mim e lá me convenço que pronto o meu pai é mesmo ele e que fui eu vim com defeito de fabrico, vim de termostato avariado.